TODOS JUNTOS CONTRA A DENGUE

Dengue pode matar

 Denuncie terrenos abandonados- Ligue 156

Denuncie casas e imóveis com foco do mosquito

Ouvidoria SESAU telefones: 3314-9955/ 3314-3071

CCZ  telefones: 3313-5000/ 3313-5001


Sintomas

Os sintomas da dengue são: febre alta com início súbito, forte dor de cabeça, dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos; perda do paladar e apetite; manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores; náuseas e vômitos; tonturas; extremo cansaço; moleza e dor no corpo e muitas dores nos ossos e articulações.

Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum.
A diferença ocorre quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alerta: dores abdominais fortes e contínuas;vômitos persistentes;pele pálida, fria e úmida; sangramento pelo nariz, boca e gengivas; manchas vermelhas na pele; sonolência, agitação e confusão mental; sede excessiva e boca seca; pulso rápido e fraco; dificuldade respiratória e perda de consciência.

Na dengue hemorrágica o quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória e choque, podendo levar a pessoa à morte em até 24 horas.

Tratamento 

A reidratação oral é uma medida importante e deve ser realizada durante todo o período de duração da doença e, principalmente, da febre. O tratamento da dengue é de suporte, ou seja, alívio dos sintomas, reposição de líquidos perdidos e manutenção da atividade sangüínea. A pessoa deve manter-se em repouso, beber muito líquido (inclusive soro caseiro) e só usar medicamentos prescritos pelo médico, para aliviar as dores e a febre.

Ao ser observado o primeiro sintoma, deve-se buscar orientação médica na Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima.
As pessoas que já contraíram a forma clássica da doença devem procurar, imediatamente, atendimento médico em caso de reaparecimento dos sintomas agravados com os sinais de alerta, pois correm o risco de estar com dengue hemorrágica, que é o tipo mais grave. Todo tratamento só deve ser feito sob orientação médica.

fonte: Blog da Saúde: http://www.blog.saude.gov.br/dengue-saiba-mais-sobre-a-doenca/ 



 


AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE


» Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti LIRAa - 2012

» 4ª edição - Dengue  - Diagnóstico e manejo clínico: criança 

» Dengue: Diagnóstico e Manejo Clínico - criança

» Dengue: Manual de Enfermagem- Adulto e Criança

» Dengue - Manual de Normas Técnicas

» Dengue: Roteiro para Capacitação de Profissionais Médicos no Diagnóstico e Tratamento - Manual do Aluno - 3ª edição 

» Dengue: Roteiro para Capacitação de Profissionais Médicos no Diagnóstico e Tratamento - Manual do Monitor - 3ª edição

» Metodologia para Quantificação de Atividade de Enzimas Relacionadas com a Resistência a Inseticidas em Aedes aegypti

» O Agente Comunitário de Saúde no controle da dengue

» Programa Nacional de Controle da Dengue: amparo legal à execução das ações de campo

»
 Cadernos de Atenção Básica - nº 21 (Dengue, Esquistossomose, Hanseníase, Malária, Tracoma e Tuberculose)

» 
Controle de Vetores - Procedimentos de Segurança

» Controle de Vetores - Procedimentos de Segurança - Manual do Supervisor de Campo

» Vigilância em Saúde: dados e indicadores selecionados

» Estudos Epidemiológicos

» Guia de bolso 8ª Edição - Doenças Infecciosas e Parasitárias

» Guia de Vigilância Epidemiológica - 7ª edição

» Informe Epidemiológico do SUS 

» Curso Básico de Vigilância Epidemiológica - Módulo 1

» Curso Básico de Vigilância Epidemiológica - Módulo 2

» Curso Básico de Vigilância Epidemiológica - Módulo 3

» Curso Básico de Vigilância Epidemiológica - Módulo 4

» Curso Básico de Vigilância Epidemiológica - Módulo 5